Cura Profunda

Cura Profunda

Leia: Marcos 2:1-17

Jesus sabe algo que o homem não sabe — que ele tem um problema muito maior do que sua condição física. Jesus está dizendo a ele: “Eu entendo seus problemas. Eu tenho visto seu sofrimento. Eu vou chegar a isso. Mas perceba que o principal problema na vida de uma pessoa nunca é seu sofrimento; é o pecado dela.”

Se você achar a resposta de Jesus ofensiva, pelo menos considere isso: se alguém lhe disser: “O problema principal em sua vida não é o que aconteceu com você, nem o que as pessoas fizeram com você. Seu problema principal é a forma como você respondeu a isso”—ironicamente, isso é poderoso. Por quê? Porque você não pode fazer muito sobre o que aconteceu com você ou sobre o que outras pessoas estão fazendo—mas você pode fazer algo sobre si mesmo. Quando a Bíblia fala sobre o pecado, não se refere apenas às más coisas que fazemos. Não é apenas a mentira ou a luxúria ou seja qual for o caso—é estar ignorando Deus no mundo que ele fez; é estar se rebelando contra ele ao viver sem referência a ele. É estar dizendo: “Eu vou decidir exatamente como eu vivo minha vida.” E Jesus diz que esse é o nosso principal problema.

Jesus está confrontando o paralítico com o seu principal problema, conduzindo-o profundamente. Jesus está dizendo: “Ao chegar até mim e pedir que seu corpo seja curado, você não está indo fundo o suficiente. Você subestimou as profundezas de seus anseios, os desejos do seu coração.” Todo mundo que está paralisado, naturalmente quer, com todas as fibras de seu ser, andar. Mas, certamente este homem teria descansado todas as esperanças na possibilidade de andar de novo. Em seu coração, ele provavelmente diz: “Se eu pudesse caminhar novamente, então eu ficaria apto para a vida. Nunca ficaria infeliz, nunca me queixaria. Se pudesse andar, então tudo ficaria certo”. E Jesus está dizendo: “Meu filho, você está enganado”. Isso pode parecer severo, mas é profundamente verdadeiro. Jesus diz: “Quando eu curar seu corpo, se isso é tudo o que eu faço, você sentirá que nunca mais será infeliz. Mas espere dois meses, quatro meses—a euforia não durará. As raízes do descontentamento do coração humano são profundas.”

Por que o perdão foi a necessidade mais profunda do paralítico? Por que ele é a necessidade mais profunda? Que outras “necessidades” sentimos serem mais profundas do que a necessidade de perdão?

Trecho do livro JESUS O REI de Timothy Keller e do GUIA DE ESTUDO JESUS O REI de Timothy Keller e Spence Shelton, Direitos autorais (c) 2015 por Zondervan, uma divisão da HarperCollins, Editoras Cristãs.

Fonte: Planos de Leitura Bíblica You Version

compartilhar

Posts Recomendados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pin It on Pinterest