Jesus cumpre o seu dever

 
Jesus sabia que tudo já estava terminado. (João 19.28, BV)
Não é só o súdito que tem o dever de fazer o que o rei exige. O rei também tem obrigações das quais precisa dar conta.
É curioso ouvir da boca de Jesus que ele precisava fazer alguma coisa em consonância com sua missão e em consonância com seu Pai. No caso das “outras ovelhas”, as ovelhas que ainda não estão com as demais no curral, Jesus disse: “Eu tenho de trazer essas também” (Jo 10.16, BV) ou “a mim me convém conduzi-las” (RA). A certa altura dos acontecimentos, Jesus “começou a explicar aos seus discípulos que era necessário que ele fosse para Jerusalém e sofresse muitas coisas nas mãos dos líderes religiosos, dos chefes dos sacerdotes e dos mestres da lei, e fosse morto e ressuscitasse no terceiro dia” (Mt 16.21, NVI). Nada e ninguém conseguiram demover Jesus dessa obrigação.
Isso demonstra que Jesus era tomado de um senso de dever do qual não abriu mão nem na agonia do Getsêmani. O que era de sua responsabilidade, o que era de sua obrigação, o que dizia respeito a ele — nada deixou de fazer. É por isso que Jesus pôde declarar na cruz: “Está consumado” (Jo 19.30)!
— Jesus se desincumbiu de tudo que a ele cabia. E eu?
Retirado de Refeições Diárias com Jesus
[Elben César]
 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on pinterest
Pinterest
Share on whatsapp
WhatsApp