Neemias – Parte 10 – Missão Cumprida

Portal IECP 2

Caráter, confiança e coragem.
NEEMIAS 6:10-19
(Leia o texto antes de prosseguir a leitura do resumo abaixo)

Comparando a experiência de Neemias com a nossa própria, emos como ele pôde lidar com as forças que ameaçavam diminuir a sua autoridade. Ele respondeu à intriga com hombridade e firmeza, e enfrentou as insinuações com negação aberta e oração.

Agora ao focalizarmos nossa atenção sobre uma forma mas aberta de ataque, ou seja, a intimidação, observaremos como suas ações salientam a necessidade e a importância da integridade. Neemias, é claro, era homem de altos princípios bíblicos. Sua vida era governada pelo Livro. Sua conduta era regulada por seus preceitos e estes formavam um padrão interior, levando tudo o mais em conformidade com a verdade.

Como cristãos, vivemos em dois mundos. Como Neemias, somos cercados por um ambiente pagão. Podemos, porém, gozar de seus recursos. Podemos seguir o ensino das Escrituras e permitir que a Palavra de Deus produza em nós a verdade e o caráter, uma dedicação ao princípio e uma aderência básica à conduta reta tão essencial ao êxito. O próprio fato que é de súbito que nos encontramos numa situação delicada e dificultosa, faz com que não possamos planejar com antecedência. Nao temos nada para nos guiar, salvo nossa integridade.

Um sacerdote chamado Semaías propõe que Neemias vá com ele à casa de Deus, no meio do templo, para proteger-se dos que estavam querendo matá-lo. Mas Neemias não está cego por interesses próprios nem intimidado por suposta autoridade profética. Ele teme ao Senhor, e andando em submissão à sua autoridade, ele é guardado de tropeços. Se Neemias tivesse cedido à sugestão de Semaías, ele teria sucumbido a um objeto de temor errado, ou seja, Tobias e a ameaça de assassínio, e o resultado teria sido fraqueza e timidez. Deus não enviou Semaías, mas ele fez esta suposta “profecia” porque foi contrato por Tobias. Neemias é salvo por guardar a Lei de Deus!

Mais uma vez Tobias e companhia fracassaram. Julgaram mal a Neemias. Avaliaram-no baseando-se em seus próprios padrões, sem contar com a importância da fé prática e operante de Neemias.

Apesar da oposição, o muro fica pronto em cinquenta e dois dias – um feito surpreendente para uma tarefa considerada quase impossível. Mesmo com tais evidências irrefutáveis da aprovação divina da obra de Neemias, ainda existem inimigos dentro como também fora da cidade.

E assim, após tudo o que Neemias fez, ele ainda tem de confiar no Senhor. Das circunstâncias enfrentadas por Neemias aprendemos que mesmo quando já vencemos toda a opoosição, a vigilância e a oração devem continuar a caracterizar nossas vidas.

O sucesso deste líder atribui-se a três fatores: seu caráter, sua confiança e sua coragem.

O caráter de Neemias veio diretamente da prática da piedade e da íntima comunhão com o Senhor. O que ele era perante Deus dava a dinâmica pessoal que inspirou um povo maltrado a assumir uma tarefa aparentemente impossível. Esta mesma qualidade de caráter fez com que ele perseverasse diante de obstáculos aparentemente invencíveis.

Perdemos nosso caráter e nossa capacidade de discernir as questões que nos confrontam quando negligenciamos o estudo das Escrituras.

Em segundo lugar, havia a confiança de Neemias. Enfrentando os obstáculos, um por um, eles cediam à força de um propósito superior. Sua confiança no Senhro livrou-o das pressões de “ser um sucesso”, fez com que ele preservasse sua objetividade, venceu os temos que os outros procuravam incutir nele e garantiram que ele estivesse livre de preocupação indevida.

Essas qualidades importantes são, porém, insuficientes sem a coragem. A coragem serve de forte antídoto para o desânimo. Ela nos mantém prosseguindo quando tudo parece perdido.

A relação de Neemias com o Senhor era tal que ele não temia o que os outros pensavam dele ou pudessem fazer-lhe. Sua fé era daquelas que movem montanhas. Sua confiança em Deus deu-lhe coragem para continuar apesar das nuvens e oposição que o cercavam.

O fundamento do sucesso está no nosso caráter. É sedimentado pela nossa confiança em Deus. A confiança no Senhor e no seu plano para a nossa vida dá-nos confiança em nós mesmos. Finalmente, nossa coragem demonstra o que somos, e aquilo em que nos envolvemos.

Este é um resumo do capítulo 8 do livro “Neemias e a dinâmica de liderança eficaz”, de Cyril Barber, Editora Vida, por Eliane Werner.

compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pin It on Pinterest