Neemias – Parte 16 – Mudança da Maré

Portal IECP 2

Leia o texto bíblico antes de prosseguir: Neemias 12:1-13:3

Em Neemias 12, os filhos de Israel se juntam para consagrar o muro de Jerusalém. Esta consagração marca não apenas o ponto máximo de seu trabalho, mas é o ponto alto de sua experiência. Também dá o fundamento para o progresso futuro.

Nosso capítulo se inicia com mais uma lista de nomes. Mostra a preocupação de Neemias em manter as tradições autênticas do seu povo.

Ao examinarmos o texto, somos lembrados da importância daqueles que labutaram pelo Senhor antes de nós. Somos animados pelo seu exemplo nobre. Suas vidas devem motivar-nos a seguir o bem e buscar o que é justo. Este registro lembra-nos a importância e o poder da piedade na vida da nação.

Somos admoestados a lembrar-nos dos mestres antigos da igreja e não apenas imitar sua fé, como também sua disposição de sofrer pela causa de Cristo. Afinal de contas, é em grande parte devido às suas labutas que nós viemos a conhecer as novas do Evangelho. Felizmente, não é assim tão difícil para nós. Um estudo da história da igreja e a leitura de biografias dos grandes homens do passado nos ajudarão a prezar nossa herança espiritual e estimular a nossa fé.

Além do mais, a Escritura nos chama à obediência para com os responsáveis pelo bem estar da igreja. Aqueles que cuidam da igreja têm uma tarefa muito séria. São pastores que um dia prestarão contas do seu serviço ao Supremo Pastor. Podemos facilitar a sua tarefa se cooperarmos com eles na obra do Senhor.

Este capítulo também nos ensina que há diferentes tipos de ministério, porém cada um é importante. Cada um contribui para o trabalho do todo, e o resultado é que Deus é glorificado.

Depois de enfatizar a importância de os judeus saberem quem é que exerce a chefia sobre eles, e de incluir os diferentes grupos de pessoas que serviam no Templo no seu relato, Neemias chega agora à consagração do muro. Para esta ocasião solene, porém alegre, os sacerdotes e os levitas se purificam. O processo de purificação se estende a todo o povo, aos portões e ao próprio muro. Tudo isso é feito para lembrar os israelitas de que eles e tudo quanto possuem pertencem ao Senhor de modo muito especial.

A consagração do muro é o clímax dos meses de dificuldade que o povo aguentou. Porém, é bem mais do que uma iniciação – esta dedicação marca um novo começo. Como resultado, o povo recebe nova identidade. Andaram sobre os muros que eles próprios ajudaram a edificar. Esta experiência funde-os e dá-lhes um senso de missão cumprida. Ademais, toda a cerimônia serve para estabelecer sua confiança no Senhor. Ele os ajudou, mesmo havendo horas quando pensaram em desistir.

No caso dos israelitas, a construção dos muros restaurou o seu prestígio nacional. O resultado é alegria dada por Deus! A alegria do Senhor é o segredo da nossa força (Neemias 8:10).

A solução para a falta de alegria é mais uma vez nos separarmos para o Senhor. Seja isto chamado de consagração, dedicação ou santificação, pouco importa. O que importa é que demos a Ele primazia em nossa vida. Quando isto é feito, o resultado é que a realidade interior de nossa fé tomará o lugar do conformismo a um dado padrão externo. Dali, poderemos desenvolver verdadeira identidade espiritual e crescer até à maturidade.

Com o ímpeto renovado, o povo de Judá toma providências para assegurar que os seus ministros seja bem cuidados. O ensino deste trecho é significativo para nós hoje. Quando estamos de bem com Deus, as demais coisas entram nos seus devidos lugares. Teremos prazer naqueles que nos ministram em lugar de Cristo e consideraremos uma honra sustentá-los dignamente no seu trabalho.

Este é um resumo do capítulo 16 do livro “Neemias e a dinâmica da liderança eficaz” de Cyril J. Barber, Ed.Vida. Produzido por Eliane Werner

 

 

 

compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pin It on Pinterest