Neemias – Parte 8 – A integridade de um líder

Portal IECP 2

CAPÍTULO 8
MODELO DO PASSADO

NEEMIAS 5:14-19
“Para que um homem seja líder ele tem de ter seguidores. E para que tenha seguidores, ele tem de ter a confiança deles. Assim sendo, a primeira qualidade do líder tem de ser integridade inquestionável”. Dwight Eisenhower.

A integridade inquestionável de Neemias auxiliou-o em lidar com a oposição externa e com as desavenças internas. Deu-lhe coragem e sustentou-lhe a conduta.

O “temor do Senhor” é descrito como o fundamento da conduta reta. Estar em reverência para com o Senhor inclui duas ideias opostas: repulsão e atração.

Quando uma pessoa entra na presença de Deus, há um sentimento de indignidade (Isaías 6:1-5 e Lucas 5:8). Reconhece que Deus é santo, e que ele é pecador. Existe também o elemento de atração. O amor de Deus é tal, que somos atraídos a ele. Reconhecemos que somos objetos de sua graça. Isto nos dá confiança para nos aproximarmos dele. A consciência de sua presença é seguida de confissão de nossa indignidade e submissão à sua vontade.

A ideia básica do “temor do Senhor” é a santidade, e a sua essência é a separação – separação do sistema mundano para os padrões e valores divinos. O povo mundano dos dias de Neemias podia explorar seu próprio povo porque não viviam em reverência e temor de Deus. Por outro lado, Neemias podia dizer: “eu assim não fiz, por causa do temor de Deus”. Este temor equipou-o com um espírito íntegro, de justiça prática, que não permitia que ele se contaminasse com o sistema de valores do mundo.

O temor do Senhor controlava também a atitude de Neemias para com as pessoas, fazendo com que tivesse verdadeiro interesse por elas, e também revelava suas prioridades, de maneira que ele não se enriqueceu como os demais governadores. As possessões tinham menos valor para ele do que a obra do Senhor.

Neemias tinha o direito de esperar o sustento do povo da província, mas propositalmente sustentava a si mesmo para não os sobrecarregar. A liberdade tem de ser regulada pelo amor. Assim, no espírito do Novo Testamento, Neemias demonstra que devemos estar dispostos a deixar de ganhar o que consideramos ser de nosso direito, por amor aos outros (2 Co 8:9-13).

Há dois critérios importantes para nos guiar no uso de nossa liberdade. Primeiro, devemos considerar o que é conveniente e edifica ao próximo. Em segundo lugar, devemos fazer todas as coisas para a glória de Deus.

Neemias estava pessoalmente envolvido na obra, mas quando um líder está mais interessado em si mesmo, em seus investimentos, e em suas venturas pessoais, do que no seu trabalho, os seus empregados logo percebem. Eles, por sua vez, serão desmotivados, seus objetivos ficarão incertos, a moral de grupo baixará, a criatividade diminuirá e os melhores planos se desfarão sem ser realizados.

Tenha prioridades bem delineadas e se concentre em fazer as primeiras coisas em primeiro lugar.

Em resumo, Neemias tinha um relacionamento prático, vital e eficaz com Deus. Estava motivado pelo seu conhecimento de quem Deus é, e fortalecido pela segurança do que Deus pode fazer. Esta relação com Deus colocou toda a sua vida em conformidade com a verdade. Deu-lhe uma honestidade interior que atraía as pessoas a ele. Sua integridade formava a base de todos os seus relacionamentos. Deu-lhe também uma perspectiva equilibrada do mundo e do seu lugar nele. Como resultado, ele pôde abrir mão de seus direitos por amor do povo e da obra. Seu sucesso veio de sua integridade e singularidade de propósito. Ele pôde deixar de lado vantagens temporais porque buscava apenas a aprovação de Deus. Estava satisfeito por saber que sua recompensa viria do Senhor.

Este é um resumo do capítulo 8 do livro “Neemias e a dinâmica de liderança eficaz”, de Cyril Barber, Editora Vida. Produzido por Eliane Werner – Obreira da Mocidade para Cristo do Brasil

Leia toda a série Neemias clique aqui.

compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pin It on Pinterest